21 de janeiro de 2017

LEO BARCELOS DEFENDE TÍTULO NO RIP CURL GROM SEARCH BRASIL 2017

IMBITUBENSE VAI REPRESENTAR O BRASIL NO GROM SEARCH INTERNACIONAL 2017

Leonardo Barcelos (centro) comemorando a vitória junto com seu pai (a esq.), Marcelo Barcelos, o Maju. na praia da Ferrugem, em Garopaba em 2016. Foto Rip Curl/Divulgação.

Começa no próximo fim de semana - dias 28 e 29 de janeiro - a disputa por mais um título nacional na praia da Joaquina, em Florianópolis. Tradicional campeonato formador de talentos, e que tem como grande destaque as vagas para a grande final internacional, reunindo surfistas de todo o planeta, o Rip Curl Grom Search Brasil, já tem garantido o excelente nível técnico em 2017. 

No evento que já teve ninguém menos do que Gabriel Medina como o melhor do Mundo, a expectativa é de grandes disputas nas quatro categorias – Grommet (até 12 anos), Iniciante (no máximo 14 anos), Mirim e Feminina (ambas com limite de 16 anos). Estarão nas disputas atletas de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e também Rio Grande do Norte e Paraíba.

Imbituba está em alta neste evento. Ano passado, Anderson Júnior disputou na praia de Ala Moana Bowls, no Hawaii, o Grom Search Internacional 2016, levando pela primeira vez o nome da cidade a um evento mundial nesta categoria, após ter sido campeão do Grom Search Brasil 2015. 


Campeão do Rip Curl Grom Search Brasil 2016, Leonardo Barcelos vai disputar este ano a final internacional, que pode ter seu local definido neste evento na praia da Joaquina, e que como manda a regra, irá acontecer em algum local com algumas das melhores ondas do mundo, como Indonésia, Austrália, Portugal, Estados Unidos e Hawaii, locais onde esta disputa já ocorreu.

Vinicius Barcelos também vai disputar mais uma vez o evento nacional, seguindo de perto os passos do irmão mais velho, Leo Barcelos. Os dois chegaram semana passada ao Brasil, após ficarem um mês na Meca do Surf Mundial, o Hawaii, onde além de adquirirem mais experiência internacional, surfaram algumas das melhores ondas do mundo, como Pipeline e Rock Point, estando ao lado de alguns dos melhores surfistas do planeta.

A expectativa de Leo sobre a decisão do local da final internacional, vem deixando o imbitubense ansioso nos últimos dias. Mesmo já tendo surfado em algumas das melhores picos de ondas do mundo, como Peru, Indonésia e Hawaii, e já tendo disputado várias competições, esta será a maior desafio em sua carreira.

Leo Barcelos aguarda ansioso o anúncio da final internacional 2017. Foto: Basílio Rui. 

Segundo Leo Barcelos,"A expectativa é muito boa, e quero que a data chegue logo, pois todos os anos o campeonato é realizado em lugares com altas ondas e espero que esse ano não seja diferente. Gostaria muito que fosse na Indonésia".

A promotora internacional do evento ainda não se manifestou sobre o local da próxima decisão mundial, que reunirá os campeões nacionais masculino e feminino de cada país, mas como já é de praxe, o anúncio costuma ser feito ainda durante a primeira etapa do nacional.

Leo e Vini Barcelos contam com patrocínio da South to South, Silverbay, Tokoro Surfboards Brasil, Talha-mar Restaurante, Shapers Surf Hardware, Sticky Bumps Surfwax, Protetor Brazinco, Fabinho Carvalho Surf Shop, Proesporte, SC Par - Porto de Imbituba, Black Surf, MS Treinamento Personalizado, Truzz Multisports e Tales Andrade.

2 de janeiro de 2017

PRAIA DO ROSA E IMBITUBA: E OS FANTASMAS DO PROGRESSO

PUBLICADO NA REVISTA ROSA SHOCK - EDIÇÃO 2016/2017

Capa da edição 2016/2017 da Revista Rosa Shock.

Já se foi o tempo da brilhantina, quando todos só queriam agito em locais fechados, dança e música. O mundo após os Anos 70 caiu na real, e a partir de Woodstock criamos a consciência de um mundo “mais perfeito” a perseguir. Esta necessidade, aliada ao crescimento exponencial de alguns destinos turísticos como a Praia do Rosa, exigiram maior organização política e gestão pública mais eficiente, o que infelizmente não aconteceu por aqui. 

O primeiro revés à exuberante natureza do Rosa veio ainda no milênio passado, quando no canto norte da praia, da noite para o dia, ruas calçadas brotaram num lugar até então intocado, bucólica pastagem de bovinos cortada por uma trilha que levava ao pico onde ondas perfeitas quebravam com vento Nordeste. 

Invasores de casas no Rosa expulsos pela comunidade sendo conduzidos pela Polícia Militar de Imbituba. Foto: Arquivo/Rosa Shock

A velocidade do crescimento da praia entrou em choque com a falta de visão dos governantes, que não acompanharam esta evolução. Da praia para o interior, o Rosa cresceu sem qualquer planejamento. As ruas continuaram estreitas, calçadas e passeios públicos foram esquecidos, saneamento básico nem pensar. 

Este crescimento desordenado multiplicou moradias, casas de aluguel, pousadas, bares, restaurantes e casas noturnas, sem a devida fiscalização dos órgãos responsáveis. A criminalidade cresceu, tornou-se cotidiana, e a falta de um policiamento efetivo virou grave preocupação para os moradores e turistas. 

Após a fatídica e movimentada noite de Revelion, o Rosamor não se deu por vencido e no dia seguinte deu uma geral numa parte da praia do Rosa. Impressionante a quantidade de lixo deixada por milhares de turistas sem consciência alguma com o local. Foto: Rosamor.

Logo ao lado, as Dunas da Ribanceira eram, pode-se assim dizer, “saqueadas”, para atender ao mercado da construção civil e obras públicas como a duplicação da BR-101. Somente em 2014, após décadas de luta, o Movimento SOS Dunas da Ribanceira conseguiu barrar a destruição daquele importante patrimônio natural, uma vitória que parece haver marcado o início de uma nova consciência na população local. 

A partir daí, moradores e entidades locais se uniram com o objetivo de ajudar o Poder Público na solução dos problemas que afetam a comunidade e colocam em risco seu futuro. Construções irregulares, aterros sem autorização na Lagoa de Ibiraquera e nos banhados no Rosa, bares com som alto e sem condições acústicas e de segurança passaram a cair na “malha fina” dos moradores que exigem respeito, menos agito e mais cuidado com a natureza. O gatilho desta união espontânea aconteceu quando jovens aproveitadores foram expulsos pela comunidade de casas de veraneio que haviam invadido sumariamente, para “curtir” o início do verão.

Desde sua penúltima edição, o Rosa Shock destacou o trabalho do Movimento SOS Dunas da Ribanceira. Foto: João Batista Coelho.

A construção de uma enorme casa em meio à vegetação nativa, próximo ao costão do Rosa Norte, foi outro motivo de protestos e união da comunidade, que passou a questionar a utilização dos espaços à beira-mar. O movimento SOS Rosa Norte se uniu ao Conselho Comunitário de Ibiraquera, e juntos promoveram uma manifestação histórica que agitou a praia e a Câmara de Vereadores, comprovando que a comunidade havia se engajado na busca de soluções para os problemas gerados pelo progresso. 

Sob o fantasma da famigerada ICC, outro exemplo é o movimento “Fora Cattalini”, que mobilizou a comunidade imbitubense, agitou e lotou também a Câmara de Vereadores com a manifestação de mais de 200 pessoas, além de promover uma peladalada, contra a instalação de uma empresa de graneis líquidos – combustíveis e produtos químicos – junto ao Porto de Imbituba, ameaçando repetir de forma ainda pior – envolvendo toda a orla marítima - desastres ambientais como os que aconteceram em Santos – no qual tanques de combustíveis queimaram por nove dias seguidos - e em Paranaguá – em que o vazamento de produtos no canal destruiu a vida marinha e condenou a pesca e o meio de trabalho de milhares de pescadores na região. 

Movimento Fora Cattalini que também sensibilizou muita gente na praia do Rosa sobre a instalação de uma empresa de graneis líquidos na cidade. Foto: Eduardo Rosa. 

Os erros e omissões do passado não podem ser apagados, e a ideia não é culpar, mas resolver e adequar. Em nome do futuro, os moradores exigem mais segurança, mais atenção e maior fiscalização por parte do Poder Público, na tentativa de recuperar o tempo perdido e preparar um futuro melhor para todos. 

16 de dezembro de 2016

SURF NO BRASIL LANÇADO EM FLORIANÓPOLIS

AS MELHORES ONDAS, AS MELHORES FOTOS, DICAS, CURIOSIDADES UM POUCO DA HISTÓRIA DO SURF CATARINENSE

Capa do Surf no Brasil. Foto: Divulgação


O lançamento oficial do Catalogo Surf no Brasil, e que contou com cerca de 700 pessoas, aconteceu nesta última quinta feira (15), as margens da Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Este evento também comemorou os 18 anos do Boletim Nas Ondas da Pan, idealizado por Maurio Borges.

Serão 88 páginas com uma seleção de fotos de 25 ondas que quebram pelo litoral catarinense, além de dicas e outras curiosidades. E também um pouco da história do surfe em Santa Catarina. 

Maurio Borges apresentando o Surf no Brasil. Foto: Divulgação

Idealizado pelo jornalista, radialista e surfe-repórter Máurio Borges, o catálogo em forma de guia será distribuído nas principais lojas, pousadas, hotéis e agências do litoral catarinense, bem como, nas principais surf shops de Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Participam do projeto, fotógrafos convidados renomados como James Thisted, Marcio David e Motaury Porto, além de outros fotógrafos talentosos dessa nova era digital como Ricardo Alves, Osvaldo Pok, Plinio Bordin, Marianna Piccoli e Willian Zimmermamm, Manoel Rene, entre outros.

Lançamento do Surf no Brasil. Da esq. para a Dir.: Paulo Sefton, Marco Polo Soares, Fernando Moniz - o Marreco -, Caxito, Maurio Borges, Jaqueline Silva, Bira Schauffert, Avelino Bastos e Celso Ramos. Foto: Fernando Melo.
Foram convidados alguns dos principais nomes da história do surfe catarinense, como, Fernando Moniz - o Marreco -, Paulo Sefton, Cachito Douat e Celso Ramos, este o primeiro shaper de pranchas da Ilha. Também estiveram presentes neste lançamento os ex-tops do circuito mundial de surf, Marco Polo Soares, Jacqueline Silva, Teco Padaratz e Alejo Muniz, que fizeram a entrega de homenagens aos convidados. Avelino Bastos e Bira Schauffert substituíram Teco e Alejo que não compareceram por motivos profissionais. 

Maurio Borges reverenciou o apoio todos para idealizar o catalogo Surf no Brasil: "Uma grande honra contar com a presença de todos vocês no evento, além dos fotógrafos do Surfe no Brasil, shapers, lojistas, representantes, empresários, e gente envolvida com o surfe no nosso estado".

A homenagem aos pioneiros do surf surf catarinense. Arte: Divulgação.

E lembrou a história do Surf Guia Brasil, que antecedeu a este projeto: "No início dos anos 2000, em parceria com a Editora Resgate, produzimos cinco edições do Surf Guia Brasil e distribuímos naquela oportunidade cerca de 80 mil exemplares. Na época, o Surf Guia foi um grande sucesso. Tudo era novidade e todo mundo queria o seu exemplar. Até hoje encontro pessoas que comentam que se guiaram muito pelo Surf Guia Brasil", diz Máurio Borges. 

"Naquela oportunidade, retratamos as ondas da região Sul e Sudeste. Acabou que não conseguimos lançar uma edição nacional e o projeto esfriou. Agora, após 10 anos, retomei essa ideia, só que de uma forma diferente. Nessa primeira edição, somente ondas de Santa Catarina, mas já para 2017, o objetivo é retratar as melhores ondas do nosso país. Além do catálogo em papel, estaremos na web e um aplicativo para smartphone será lançado nos próximos dias com serviços 24 horas de cada praia em destaque", finaliza o Maurio Borges.

8 de dezembro de 2016

IMBITUBA RECEBE ÚLTIMA ETAPA DO SURFING GAMES 2016

VIDA MARINHA SURFING GAMES INTERASSOCIAÇÕES 2016 AGITA PRAIA DA VILA NESTE FIM DE SEMANA


Última etapa acontecerá nos dias 10 e 11 de dezembro na praia da Vila, em Imbituba(SC), e definirá a associação campeã da temporada 2016 do Circuito Vida Marinha Surfing Games Interassociações.

A escolha da cidade para encerrar a temporada de 2016 do circuito não poderia ser melhor. A terceira e última etapa do Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2016 acontecerá em Imbituba(SC), e o seu desfecho promete ser eletrizante com várias equipes brigando pelo título. 

Após duas etapas realizadas até o momento, a primeira em Balneário Barra do Sul, litoral norte e a segunda na praia do Santinho, em Florianópolis, o circuito chega ao litoral sul do Estado para sua definição. A disputa será na renomada praia da Vila, um dos templos sagrados do surf catarinense, reconhecida pela excelente qualidade de suas ondas. A Vila já foi palco de grandes eventos nacionais e internacionais. Por oito anos a cidade recebeu a elite do surf mundial do WCT em etapas que são lembradas até hoje.

A ASB (Associação de Surf de Barra do Sul) lidera o ranking em busca de um título inédito para a cidade do litoral norte catarinense. Após vencer as duas etapas realizadas, a ASB Barra do Sul desponta como favorita a desbancar a ASJ Joaquina, atual campeã do circuito, que ocupa a segunda posição no ranking, 371 pontos atrás do líder.

Tradicional palco de grandes eventos e ondas sensacionais, a praia da Vila, em Imbituba, recebe etapa decisiva do VMSGI 2016. FOTO: Basilio Ruy

No balanço geral, Aurélio Ramos, promotor e um dos idealizadores do circuito, está satisfeito com a proporção que os eventos vem ganhando a cada ano. “Esta temporada vem sendo muito especial, pois é um circuito tradicional da Fecasurf (Federação Catarinense de Surf), e o respaldo de todas as equipes que fazem parte da competição está sendo demais”, comentou Aurélio. “Quem ganha é o surf catarinense e brasileiro, com todo esse comprometimento com o circuito, que a cada ano só tende a evoluir positivamente com novos projetos”, declarou Aurélio.

Além de definir o título de melhor associação de surf em Santa Catarina, esta última etapa classificará as 12 melhores equipes para a elite de 2017. As quatro últimas serão rebaixadas, e terão que disputar a seletiva no próximo ano, que classificará as quatro primeiras para o circuito principal. “Com o sucesso destes eventos neste ano, está havendo uma grande movimentação de associações que não participaram da elite em 2016, para disputarem a seletiva que acontecerá em maio de 2017, na praia Brava de Floripa”, revelou Aurélio.

O Surfing Games Interassociações acontece desde os anos 90, e a ASBC Balneário Camboriú foi a maior vencedora do circuito com nove títulos. Há quatro anos a competição tem o patrocínio da Vida Marinha, marca catarinense criada em 1992 em Criciúma(SC), região sul do Estado.

A terceira etapa do Circuito Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2016 será apresentado pela Prefeitura Municipal de Imbituba e Guaraçaí, com o patrocínio da Vida Marinha. Apoio Da Magrinha, Clinica Fisiolife, Porto dos Paes, Talha-Mar Bar, Banana e Fesporte. Organização da ASI (Associação de Surf de Imbituba) e supervisão técnica da Fecasurf.

Ranking do Vida Marinha Surfing Games Interassociações 2016 após a segunda etapa

1º- Barra do Sul (ASB)- 2000 pontos
2º- Joaquina (ASJ)- 1629 pts.
3º- São Francisco do Sul (AFS)- 1539 pts
4º-Garopaba (ASG)- 1431 pts.
5º- Balneário Camboriú (ASBC) 1400 pts.
6º- Imbituba (ASI)- 1319 pts.
7º- Itapoá (AIS)- 1.187 pts
8º- Matadeiro (ASM)- 860 pts.
9º- Ferrugem (ASF)- 774 pts.
10º- Ingleses e Santinho (ASIS)- 760 pts.
11º- Bombinhas (ABS)- 663 pts.
12º- Lagoinha do Leste (ASNLL)- 568 pts.
13º- Extremo Sul da Ilha (ASESUL)- 511 pts.
14º- Praia do Rosa (ASPR)- 478 pts.
15º- Itajaí (ASPI)- 349 pts.

Texto: João Lopes Fotos: Basilio Ruy
Prime.Press07 Assessoria & Comunicação

6 de dezembro de 2016

IMBITUBENSES EMBARCAM PARA O HAWAII

'NORDESTÃO IMBITUBENSE': VINICIUS E LEO BARCELOS FAZEM SUA ESTRÉIA NA MECA DO SURF MUNDIAL

Leo Barcelos botando pra baixo e adquirindo experiência para as ondas havaianas na praia da Vila, em Imbituba. Foto Darlan Back

Os meses de verão no Brasil, com poucas ondas e muito calor, dá lugar ao inverno no Hemisfério Norte, com tempestades se formando em alto mar e jogando grandes ondas contra alguns dos melhores points de surf do mundo. O arquipélago havaiano, perdido no meio do Oceano Pacífico, é um desses exemplos. 

Após uma temporada 2016 de ciclones e grandes ondas pelo litoral sul de Santa Catarina, entre a praia da Vila, em Imbituba, e a praia do Silveira, em Garopaba, e ter no DNA a experiência adquirida do seu pai, Marcelo Barcelos, o 'Maju', um dos mais atirados surfistas da praia da Vila, embarcam nesta quarta feira (07) para o Hawaii, a 'Meca do Surf Mundial' de ondas grandes, os imbitubenses Leonardo e Vinícius Barcelos.

Não é a primeira vez que os 'Barcelo's Brothers', como são conhecidos, pisarão em solo havaiano - estiveram lá 2005, quando ainda não surfavam -, destino dos principais surfistas do mundo quando o assunto é ondas grandes e perfeitas, além de ganho de experiência. A adrenalina pré-viagem é algo que estes dois moleques não escaparam de sentir. 

Vini desafiando as esquerdas perfeitas de Leak Peak, na Indonésia. Foto Cida Barcelos.

Os dois já têm algumas viagens internacionais em ondas perfeitas na bagagem, para o Peru, três vezes, e uma vez para Indonésia, e estas viagens trouxeram grande ganho de habilidade nas competições, como eles tem demonstrado nos últimos anos. 

Leonardo, com 15 anos de idade, vai representar o Brasil no Mundial Grom Search em 2017, em alguma praia com ondas perfeitas pelo mundo - decisão que sai no início do próximo ano -, conquista feita ao vencer o Rip Curl Grom Search Brasil nesta ano.

Além disso, Leo venceu no último fim de semana a categoria Mirim, e ainda ficou em 3º na Júnior, na última etapa do Catarinense Amador de Surf, que aconteceu na praia da Joaquina, em Florianópolis, e com isso garantiu vaga na equipe catarinense para o Circuito Brasileiro Amador de Surf em 2017, nas duas categorias.

Leo Barcelos apresentando seu quiver para temporada havaiana 2016/2017. Foto: Gustavo Forneck. 

Vini, o caçula dos irmãos, com 14 anos de idade, continua sua escalada no surf, e terminou o Catarinense Amador 2016 entre os 10 melhores na categoria Mirim, e lidera o Circuito Imbitubense na categoria Iniciantes, com chances de sagrar-se campeão local 2016.

Segundo 'Maju', pai dos Barcelos, "a preocupação e a atenção redobrada nos últimos mares grandes, na Vila e na Silveira, tem dado lugar a confiança e orgulho de vê-los felizes e bem preparados". Leo já adiantou, "Vou botar pra baixo, to realizando um sonho e só posso agradecer meu pai e minha mãe".

Vini comente que, "vou pegar as melhores, adquirir experiência com os melhores do mundo que estão lá nesta época, e de quebra vou assistir o Pipe Master junto com meu irmão", última etapa do Mundial de Surf WSL. Cida, mãe dos moleques comenta que  "como não é a primeira viagem dos meus filhos, sei que vão se dar bem. To tranquila, super segura e não poderia ser diferente".

Vini também está preparado para as ondas havaianas. Foto: Gustavo Forneck. 


Os Barcelo's Brothers permanecem no Hawaii até o dia 09 de janeiro de 2017, e viajam com o patrocínio da South To South, Silverbay, Tokoro Surfboards Brasil, Shapers Surf Hardware, Sticky Bumps Surfwax, Talha-Mar Restaurante Bar, Fabinho Carvalho - Casa Do SURF, Black Surf, Proesporte Imbituba e SC Par - Porto de Imbituba. Vinicius ainda conta com o apoio da Truzz Mutisports e Protetor Brazinco.

22 de novembro de 2016

DUNAS DA RIBANCEIRA: IFSC REALIZA CONSULTA POPULAR PARA O TOMBAMENTO

QUESTIONÁRIO IRÁ COMPOR PROCESSO DE TOMBAMENTO REALIZADO PELO SECULT EM IMBITUBA


Já está no ar, a partir desta segunda feira (21), o formulário de participação voluntária desenvolvido pelo Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC -, campus Garopaba, para cidadãos e cidadãs que residem ou nasceram em Imbituba para fins de patrimonialização paisagística - Tombamento - das dunas da Ribanceira, em Imbituba, idealizado e conduzido pela Superintendência de Cultura da Prefeitura de Imbituba.

Todas as pessoas residentes ou domiciliadas em Imbituba poderão evidenciar suas impressões sobre um dos maiores patrimônios imbitubenses que sofreu com a destruição durante anos e que agora está a caminho da preservação definitiva, e o Tombamento das dunas da Ribanceira poderá contemplar esta proteção.

Os dados necessários neste formulário são de suma importância para que o processo de Tombamento seja concretizado, por isso as informações solicitadas são de extrema importância para o fim que é proposto. 


Segue a nota do IFSC sobre a consulta popular para o Tombamento das dunas da Ribanceira:

"O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), a partir do Campus Garopaba, colabora com os estudos a respeito do valor cultural e paisagístico representado pelas Dunas da Ribanceira para a história e construção identitária do município de Imbituba (SC). Com o objetivo de compreender qual a importância das Dunas da Ribanceira para as pessoas que de algum modo estão relacionadas ao município de Imbituba, o IFSC, por meio do Projeto de Extensão registrado na Plataforma SIGPROJ sob o nº 245257.1248.194282.21082016, apresenta este formulário de participação voluntária dos cidadãos e cidadãs que residem ou nasceram no município de Imbituba (SC).

O preenchimento e envio deste formulário manifesta a concordância do respondente em ceder ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina e a pesquisadores creditados , sem quaisquer restrições, os direitos autorais e de imagem do depoimento de caráter voluntário. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC) e demais instituições e pesquisadores vinculados a este projeto ficam assim autorizados a utilizar, reproduzir e publicar, para fins culturais, de pesquisa ou de processos de patrimonialização, o mencionado depoimento no todo ou em partes, editado ou não, bem como permitir a terceiros o acesso ao mesmo para fins idênticos.

Seu depoimento é muito importante para que se verifique ou não a pertinência do processo de Tombamento das Dunas da Ribanceira. Agradecemos a sua participação."

CONSELHO COMUNITÁRIO CONVOCA ASSEMBLÉIA EM IBIRAQUERA NESTA QUARTA FEIRA (23)

CRIMES AMBIENTAIS E CASAS NOTURNAS SERÃO ALGUMAS DAS PAUTAS


Após série de crimes ambientais ocorridos na região de Ibiraquera e praia do Rosa, denunciados pelo Conselho Comunitário de Ibiraquera - CCI -, e o fechamento de uma casa noturna na praia do Rosa, comunidade se reúne para debater estes temas nesta quarta feira (23).

A Assembléia Geral do CCI acontece no Salão Paroquial de Ibiraquera, a partir das 20:00 horas, e a entidade convida a todos para participarem das discussões e buscar soluções para os vários problemas que norteiam a região de Ibiraquera. 

Para saber mais das ações do CCI, ou contactar a entidade, a presidente do Conselho Comunitário, Cidinha, disponibilizou dois fones de contato: (48) 9928.9916 e 9973.0586.

Para saber mais sobre as ações do CCI, clique aqui.

OBRA EMBARGADA PRÓXIMO A PRAIA D'ÁGUA, EM IMBITUBA

SEDES CONFIRMA EMBARGO À OBRA IRREGULAR EM APP SEM AUTORIZAÇÕES AMBIENTAIS

Segundo secretaria de meio ambiente em Imbituba, obra próximo a praia d'Água não tinha autorização para estar acontecendo segundo as leis de zoneamento da cidade, já que trata-se de uma ZPA. Foto: SOS Praia d'Água/divulgação..

A denúncia feita pelos membros do Movimento SOS Praia d'Água, neste último fim de semana, em que um aterro para uma obra estava sendo feito próximo ao costão entre a praia da Ribanceira e a praia d'Água, em Imbituba, foi confirmada com a autuação da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável - SEDES - da Prefeitura Municipal de Imbituba nesta segunda feira (20).

Segundo a fiscalização ambiental da SEDES, foi realizado o embargo e o Auto de Notificação da obra pela abertura de uma rua em ZPA - Zona de Proteção Ambiental - sem projeto especial e sem aprovação do COMDEMA - Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Imbituba. Além disso, o local onde ocorreu a obra irregular, pode estar dentro da APA da Baleia Franca.

Nessa autuação nenhuma multa foi lavrada, mas foi realizado a orientação aos proprietários para que nada seja feito na área sem aprovação da Prefeitura e dos órgãos ambientais da cidade, e essa orientação serve também, a todos que tenham imóveis em áreas de ZPA no município de Imbituba.

Caso as obras continuem no local, e o embargo seja desrespeitado, uma multa pode ser emitida, junto a um inquérito criminal e até mesmo uma Ação Civil Pública poderá ser criada. Para que qualquer obra seja feita no local - ou dentro de qualquer ZPA -, um 'Projeto Especial' deve ser apresentado a Prefeitura de Imbituba, que poderá aprovar, reprovar ou restringir qualquer construção ou alteração que venha acontecer.

Ainda segundo a SEDES, a recuperação da área ainda será estudada, pois apesar de ser em uma ZPA, e o alerta ter chegado ao órgão em tempo hábil, a obra que estava ocorrendo causou baixo impacto e não houve desmatamento e danos generalizados a área, que é uma APP - Área de Proteção Permanente.

Texto e fotos: Divulgação/SOS Praia d'Água.

14 de novembro de 2016

VÍDEO: PEDALADA 'FORA CATTALINI' REÚNE IMBITUBENSES POR UMA IMBITUBA MELHOR

LARGADA NO CENTRO E CHEGADA NO MUSEU DA BALEIA FRANCA


Participantes da 'Pedalada Fora Cattalini' reunidos em frente a Ilha Santana de Fora, na praia da Vila, em Imbituba. Foto: Eduardo Rosa.

No último sábado (12), praticamente uma centena de moradores, entre surfistas, ciclistas, representantes de entidades municipais - como o Observatório Social de Imbituba, OSIMB, Associação de Surf Imbitubense, ASI e Conselho Municipal da Associações de Imbituba, COMAI -, participaram da 'Pedalada Fora Cattalini', manifestação promovida pelo movimento que é contrário a instalação de uma empresa de granéis líquidos na cidade, que, segundo o movimento, já é recorrente de grandes desastres ambientais e econômicos em sua história.

A travessia não tinha somente este intuito, mas também, o de conscientizar os imbitubenses sobre o futuro que se deseja para a cidade. Uma Imbituba equilibrada e que proteja seus recursos naturais e paisagísticos de forma ordeira, bem como suas fontes de renda tanto ambientais quanto de crescimento futuro.

Imbitubenses de todas as idades, circularam por quase toda a região central de Imbituba, desde o Calçadão da rua Nereu Ramos, passando pela praia da Vila - palco de alguns dos maiores eventos de surf do país -, atravessando a Avenida Manoel Florentino Machado, chegando até o museu da Baleia Franca, na praia do Porto, bem em frente ao local que a empresa paranaense, Cattalini, pretende ser instalada.

Largada da 'Pedalada Fora Cattalini' no Calçadão da rua Nereu Ramos, no Centro de Imbituba. Foto: Eduardo Rosa

Esta foi mais uma das múltiplas ações que o movimento 'Fora Cattalini' vêm promovendo desde seu início, em setembro deste ano, em meio ao 'turbilhão' das eleições municipais, quando surgiu a intenção real desta empresa se instalar Imbituba.

Para o Fora Cattalini, uma cidade que tem em seu 'subconsciente' o fantasma deixado pela devastação causada pela ICC - Industria Carboquímica Catarinense - em décadas passadas, e recentemente os sérios problemas causados pelo carregamento e armazenagem do coque - rejeito do petróleo - em solo imbitubense, não quer se sujeitar a mais este perigo iminente que poe em risco, não somente a vida de seus cidadãos, bem como sua orla marítima onde está localizado o principal berçário das baleias francas no sul do país, e a APA da Baleia Franca.

Além disso, as pretensas descaracterizações causadas pelo turismo e o crescimento desordenado sem fiscalização apropriada do Poder Público durante décadas, em uma cidade que ainda mantém um enorme 'palco de espetáculos naturais', precisa ter suas intensões futuras repensadas.




Por Eduardo Rosa e Norton Evald
Comissão de Comunicação Movimento #Fora Cattalini/Imbituba

3 de novembro de 2016

DE IMBITUBA PARA O MUNDO, APÓS RESSACA HISTÓRICA

IMBITUBENSE ESTAMPA FOTOS NUM DOS MAIORES SITES DE SURF DO MUNDO


No último fim de semana do mês de outubro, as regiões Sul e Sudeste do Brasil foram bombardeadas pela segunda vez por uma ressaca histórica num período de algumas semanas, que trouxeram para a nossa costa maré extremamente alta, destruição da região litorânea, bem como, enormes ondulações que colocaram a prova uma legião de big riders de plantão.

Diversos picos de surf que suportam bem estas ondulações estiveram nervosamente frequentadas nestes dias, como a Lage da Jagua, em Jaguaruna, a praia da Vila, em Imbituba e a praia do Silveira, em Garopaba. Além dos atirados surfistas que nestes momentos produzem momentos épicos em condições extremas, muitos fotógrafos se posicionam para eternizar estes situações.

Desde junho deste ano, o bancário Manoel Rene, vem se dedicando a esta arte, e apesar de um curto espaço de tempo e bagagem acumuladas nesta área, vinha produzindo ótimas imagens, principalmente em seu quintal de casa, a praia da Vila, em Imbituba. 

Marco Giorgi, praia do Silveira, Garopaba. Foto: Manoel Rene.
Durante esta última ressaca, Rene foi dar um check in na praia do Silveira, em Garopaba, junto com o surfista imbitubense Carlinhos Fiuza. Ao chegarem, se depararam com rampas de mais de 4 ou 5 metros, sendo escaladas e surfadas por muitos atirados. 

Na água já estavam, Yuri Gonsalves, o big rider imbitubense, Vinicius dos Santos - que vem nos últimos anos treinando forte para surfar Waimea, no Hawaii, gigante -, e Everaldo 'Pato' Teixeira, um dos maiores big riders do mundo. 

Manoel montou seu equipamento e, durante cerca de 20 minutos, começou a registrar vários momentos que se sucediam dentro d'água, em frente as perigosas pedras do canto sul da Silveira. E, segundo ele, "bateu a fissura, e fomos pra água também".

Meio da praia do Silveira, mais conhecido como Mike Tyson, pela força das ondas neste local. Foto: Manoel Rene.

Mesmo com pouco tempo registrando os momentos neste dia, e ter postado uma dessas fotos em sua página do Facebook, Rene recebeu uma mensagem do jornalista Adrian Kojin, editor do site Surfline Brasil, braço tupiniquim de um dos maiores e mais respeitados veículos virtuais de surf do mundo, para disponibilizar seu material para publicação.

Na última segunda feira (01), suas fotos estavam postadas no Surfline Brasil (Clique para ver), e uma das suas fotos abria a matéria. Rene comemorou nas redes sociais, "Muito feliz em ter uma foto minha estampada na capa do site mais respeitado do mundo do surf. Muito obrigado Adrian Kojin pelo destaque, a matéria ficou show!!"

Na reportagem da Surfline Brasil, também há fotos de outros locais do litoral brasileiro, como Lage da Jagua, em Jaguaruna, a laje de Angra dos Reis, no litoral carioca, e a lage de Maresias, em São Paulo, que apenas nestas condições de ressaca costumam funcionar.

O Surfemais parabeniza o fotografo Manoel Rene, pelo seu empenho em traduzir nosso esporte da melhor forma, e relembra que ele teve várias fotos publicadas aqui no blog, quem sabe seu primeiro local de publicação em seu início no ramo fotográfico, um reconhecimento pelo seu empenho e sua dedicação. 

Mais fotos de Manoel Rene na praia do Silveira.

Marco Giorgi, praia do Silveira, Garopaba. Foto: Manoel Rene.

SNI, praia do Silveira, Garopaba. Foto: Manoel Rene

Diego Capivara, praia do Silveira, Garopaba. Foto: Manoel Rene