COMEÇA O WCT MENOS DISPUTADO DA HISTÓRIA - Tudo Pronto pra "Festa"


Pode parecer um engano o que vou escrever, mas o título do WCT deste ano está com cara de "já tem dono". Até eu acho uma hipocrisia fazer este comentário, mas eu começo a ter esta impressão. Ao começar a acompanhar esta primeira etapa do Circuito Mundial de primeira divisão, direto e ao vivo da Austrália, me deparo com o eneacampeão mundial de surf caindo em sua primeira bateria com uma prancha minúscula - parece que era uma 5'4" -, a qual ele vinha treinando durante a semana antes de começar o evento. Na primeira bateria ele arrebentou como sempre, mesmo com uma prancha daquela.
Mas voltando ao que eu quero me referir, a ASP parece estar dando mostras que o WCT este ano será uma grande festa, já que Mr. Slater "chegará" ao seu décimo título. Eu acredito nisto também, mas ano passado, alguns atletas começaram a se sentirem incomodados com a presença dele no Tour e abandonaram o restante do circuito deixando, inclusive a etapa brasileira sem várias estrelas, fato que ASP relevou, não dando nenhuma punição aos atletas, aceitando as desculpas esfarrapadas de alguns atletas e forçando patrocinadores e investidores a se contentarem com uma etapa que mais parecia um WQS, com nenhum brasileiro chegando sequer a semifinal, desperdiçando, assim, a chance de pontuarem em casa e chegarem ao Hawaii com mais chances de se classificar para o WCT deste ano. Fato que contribuiu para o não remanejamento de brasileiros para este ano.
Sem contar que é ano de troca de diretoria na ASP, e até Martin Potter está sendo cotado para ser o próximo presidente como citei aqui em um post anterior.
E mais ainda: será que a Quiksilver vai realmente pagar dez milhões de dolares por este décimo título de Slater. Numa época de crise como estamos passando. Claro que eles têm muito dinheiro e não sei se Kelly vai querer mais dez milhões, já que já ganhou em torno de 2 milhões de dólares só em premiações recebidas da ASP pela sua atuação. Com esta grana que ele receberá do seu patrocinador dá pra comprar uma parte da sociedade da Quiksilver. E é por isso, apenas isto, que ele deve ter pensado no décimo título. Pode ser sua aposentadoria definitiva.
Mas também penso que ele pode assustar este ano e não ganhar, dando a seus patrocinadores a chance de ter mais um ano de marketing e vendas, fazendo caixa para se transformar na maior marca de surf do mundo. Claro que seria ótimo financeiramente falando. São possibilidades, mas ano passado achei que Kelly não ganharia o título, pelo mesmo motivo, e ele calou a minha. Se a Quiksilver não pensou nisso, eu fico pensando o que a equipe de marketing deles tem na cabeça, deixando escorrer uma chance destas de ganhar dois anos de marketing e propaganda indireta. E pela ASP, dando a chance a outro atleta de ganhar o título, criando o estímulo em outros competidores em tentar o vencer o WCT no ano do décimo título de Slater.
Sou fã de Kelly - sou ainda mais de Tom Currem que abriu passagem pra essa legião de novos competidores -, mas não me recolho em não falar desta possível "manipulação" de título que pode ocorrer, e que seria saudável para o circuito. Assim como foi o terceiro título de Tom Currem em que ele depois de ter sido bicampeão, deixou de correr o circuito durante um ano e voltou, por própria decisão, a correr o circuito deste as triagens, comprovando o que ele havia dito no começo do circuito que seria campeão novamente vindo desde as triagens. Foi uma baita jogada de marketing da Rip Curl.
Quer ver o Quiksilver Pro ao vivo? http://www.quiksilverpro.com.au/por/Live.aspx

Por Eduardo Rosa
2 comentários