OSWALDO PEPE E SUA FISSURA PELO SURF

GRATIDÃO PELO ESPORTE

Oswaldo Pepe - lê-se 'Pépe' - desde 85 trabalhou com várias revistas de surf e empresas, como a Trip e a Fluir, e realizou feiras de surf que aconteceram pelo Brasil durante vários anos, mas nunca pegou uma prancha pra aprender a surfar.

Agora, próximos dos 50 anos, resolve que era hora de experimentar o que estava tão próximo. Tanto aprendeu, que hoje em seu “barraco” em Maresias detém uma das maiores coleções de pranchas do Brasil. Em torno de 100 pranchas fazem parte de seu “quiver”.

Pranchas que foram usadas nas décadas de 70, 80 e 90, além de antigas pranchas 'gringas', estão lá para que quiser admirá-las e aprender um pouco da história do surfe. Inclusive surfar com algumas delas também pode.




Vídeo do "Barraco" do Pepe, em Maresias, São Paulo.

Pepe é proprietário da Art Press Comunicação, uma empresa voltada para o planejamento estratégico de outras empresas, inclusive de surf. Aprendeu não só a viver, mas a respirar surfe. Ele pega onda desde 2003.


Olha a empolgação dele em email que foi me enviado: "Entrou no sábado passado (acho que aí foi antes, quinta ou sexta né ?) ? entrei na Baleia, aqui o litoral norte, gigante, com uma correnteza de sul de matar, qdo cheguei tinha ambulância saindo com surfistas... fiz duas entradas, 9 e 4:30 e sobrevivi, hehehe, que qué isso ? Domingo ficou show to-tal... imaginei a Vila, quebrando no meio das ilhas, será?"

Tanta empolgação com a nova carreira o fez "viajar", para juntar ponto a ponto algumas passagens legionárias de uma das maiores lendas do surf até hoje, Mickey Dora. Está tudo reunido num livro que deve ser lançado em breve.
Postar um comentário