GERAÇÃO 'PÓS WCT' PODE ESTAR CHEGANDO MAIS RÁPIDO QUE SE PENSAVA!!

ATÉ DEMOROU, MAS O FUTURO É
PROMISSOR EM IMBITUBA

João Paulo Passarinho tem além de muito surf, sorte também. Assim se consagram muitos campeões.

Há algum tempo atrás, conversando com alguns colegas influentes do surf em Imbituba, acabávamos chegando as mesmas conclusões, mesmo discordando em alguns pontos sobre a evolução do surfe imbitubense pós WCT. Questionava a aparente pouca evolução de um número maior de atletas que estivessem galgando posições melhores tanto no surfe em Imbituba quanto em nível de estado.

Na minha modesta opinião, eu achava que mais atletas - além de alguns que já estavam com um bom surfe no pé, e aparecendo com frequência a finais de eventos - deveriam estar estourando como pipoca e em maior quantidade, dada a grande e bem vinda ajuda que uma etapa com os melhores surfistas do mundo pode proporcionar à evolução do esporte em uma região. Junto, vêm outros eventos catarinenses e o nível local aumenta também.

Imbituba está sendo privilegiada por isto, dando chance para que atletas sejam observados com mais atenção. Assim foi o caso de João Paulo de Abreu, o Passarinho da praia do Porto, que por estar no lugar certo e na hora certa, teve seu surf observado e conceituado por um top 44 do WCT, mas têm-se que ressaltar, fazendo a coisa certa, conseguiu uma coisa inédita para os surfe em nossa região.


Mas para mim, ainda faltava muito para que esta influência "WCT" estivesse rendendo frutos maiores. A quantidade e a qualidade dos eventos locais se multiplicando, e a galera parecendo ainda na mesmice. Pelo menos em alguns eventos que tive a oportunidade de presenciar, constatei isto.

Alheio as críticas, confesso que não tenho mais acompanhado esta evolução que estaria acontecendo no surfe imbitubense, por motivos profissionais, e por certo, não poderia emitir uma opinião mais recente sobre o assunto. Mas continuava inconformado com as poucas noticias que vinha recebendo de lá.

Mas depois de assistir o vídeo acima, confesso que posso estar presenciando o início desta explosão do surfe pós WCT.

Já vinha me confortando em saber que neste ano de 2009, alguns surfistas imbitubenses realizaram sonhos deles - e até de seus pais -, indo fazer uma trip pelas ondas peruanas, garantindo assim a passagem de nível na evolução de suas vidas e no surf, como Arthur - filho de Sandro Ferraz - e Tayson de Souza, filho do vereador Jaison, entre outros e o Ian Tavares, filho do Walter Tate.

Mas não esperava ser tomado de assalto por estas performances, com rabetadas, aéreos, inverts,, 360º, batidas retas, cut backs completos, quase na perfeição. Eu ainda espero mais de nossos atletas. A evolução contínua, e a observação aliada a busca da técnica perfeita, e do estilo mais aprimorado, em cada manobra realizada, podem render bons frutos num futuro próximo. Bons frutos até internacionais quero dizer.

Contudo, o que eu espero mesmo é que nosso celeiro de atletas continue produzindo não só fans dos top 44, os quais vêm uma vez por ano de passagem pela cidade, mas sim guerreiros, que dentro de alguns anos estarão batendo de frente com atletas nacionais e internacionais mundo afora.
Postar um comentário