COMEÇA E SEGUNDA METADE DA CAÇA AO TÍTULO DO WCT 2012


Kelly Slater vence seu 50º evento da ASP e Joel Parkinson acaba sendo o maior beneficiado em Trestles, Califórnia (EUA)

Joel Parkinson segue com uma ótima regularidade em 2013. Talvez o mais sério candidato ao título em 2013

Uma etapa reverenciada entre a maioria dos Top’s do Circuito Mundial, o Hurley Pro 2012, sexta parada do WCT, abriu a chance para dois brasileiros encostarem na liderança, abraçada pelo australiano Mick Fanning, mas que também não foi de pouca importância para Adriano de Souza e Gabriel Medina. 

Mick Fanning ainda lidera o ranking, mas não com tanta folga .

As etapas seguintes pela Europa – França e Portugal – trazem um ótimo retrospecto para o Brasil em anos anteriores, dando mais uma chance, principalmente para Mineirinho, de encostar de vez entres os líderes. Mas, apesar do norte americano ter vencido sua segunda competição este ano – a 50ª de sua carreira – e ter tomado a 3ª colocação de John John Florense, o maior beneficiado mesmo foi o australiano Joel Parkinson, que se aproximou ainda mais do líder, seu compatriota Mick Fanning, sem ter vencido nenhum evento ainda.

Slater via ter que melhorar ainda mais para alcançar os australianos em 2013.

E se essa vitória de Joel realmente acontecer em uma das 4 etapas restantes do WCT, a liderança se dará a ele pela regularidade que vem tendo em suas colocações nos eventos.  Um 5º e um 9º foram seus piores resultados este ano, em Snnaper Rocks e em Fiji, respectivamente, mostrando que Joel caminha a passos largos para seu primeiro título mundial. Mesmo com Slater mostrando mais interesse para chegar junto, a partir da segunda metade do circuito, como fez algumas vezes em outros anos quando não teve um bom início em seu hand cup, mas chegou ao título com certo esforço.

Adriano de Souza, o Mineirinho, ainda tem ótimas chances de brigar pelo título neste ano.

Aos brasileiros, resta manter boas colocações até o final do ano e contar com o reforço da já confirmada entrada de Filipe Toledo ao WCT em 2013. Medina ainda segue com chances de disputar o título em seu primeiro ano completo de World Tour, se não for novamente prejudicado pelo excesso de notas altas dadas a alguns de seus oponentes, em algumas baterias que disputou.

Por Eduardo Rosa

Postar um comentário