PRAIA DA GUARDA DO EMBAÚ PEDE SOCORRO

MOVIMENTO SOS RIO DA MADRE BUSCA APOIO PARA PRESERVAR BAIXADA DO MACIAMBU, EM PALHOÇA (SC)


No ano de 2009 o governo de Santa Catarina aprovou Projeto de Lei Estadual nº 14.661, que transformava a Baixada do Maciambu, região que faz parte da Serra do Tabuleiro, em Palhoça (SC), e compreende as praias da Guarda do Embaú, Pinheira, Sonho, bem como as localidades de Morretes, Albardão, Maciambú, Três Barras, Passagem e Sertão do Campo, em APA de Entorno Costeiro.

Foto de satélite que mostra toda a região da Baixada do Maciambu, em Palhoça , SC. 

Desde então, a comunidade da Baixada do Maciambu e Rio da Madre, que banha um dos lugares mais preservados e bonitos de Santa Catarina, e desemboca na Praia da Guarda do Embaú, vêm se reunindo para tentar impedir que tal projeto siga em frente.

Foto legenda do Movimento SOS Rio da Madre.

No vídeo abaixo, seguem sérias denúncias, como o engavetamento do projeto original, que há anos vinha sendo discutido pela comunidade, e encaminhamento de um "novo" projeto que, segundo denúncias, não teve em nenhum momento a participação popular. 

Contornos do Rio da Madre que compõem, restingas, manguezais e rica fauna, tanto marinha quando  terrestre. Foto: SOS Rio da Madre.

O vídeo também mostra, de forma consciente, como é formada a região do Maciambu, suas características históricas, seu ecossistema e seu povo. Um santuário natural abraçado pela Serra do Cambirela e do Morretes. 

Ricardinho dos Santos, local  e amante da praia da Guarda do Embau, um dos maiores big riders do mundo e um dos grandes defensores do Movimento SOS Rio da Madre. Foto: Arquivo Pessoal/Willian Zimmerman.

Apresenta também o trabalho que vem sendo realizado pelo Movimento SOS Rio da Madre, que no momento busca apoio e doações para custear a assessoria jurídica contratada para defender a preservação da Região do Maciambu. 


Para saber mais sobre o Movimento SOS Rio da Madre, clique aqui.

Para participar do Movimento via Facebook, clique aqui.

Para fazer uma doação ao Movimento SOS Rio da Madre, clique aqui. 

Por Eduardo Rosa
Postar um comentário