KON-TIKI TEM PRÉ ESTRÉIA HOJE NOS CINEMAS PELO BRASIL

NESTAS DESCOBERTAS DE THOR HEYERDAHL PODEM ESTAR O 'ELO PERDIDO DO SURF'


Em 1947, o historiador e estudioso norueguês de barcos vikings, Thor Heyerdahl, entregou suas experiências e estudos ao povo europeu, e partiu para o sul da América do Sul, extasiado com uma lenda pouco difundida sobre antigos desbravadores dos mares.

Na teoria, os antigos povos sul americanos, teriam atravessado os mares em simples balsas feitas em junco de totora, matéria prima abundante na região do Peru, e comprovado que estes milenares sul americanos podem ter sido os mais antigos navegadores de nossa história. 

Thor chegou até as ilhas do conglomerado polinésio e mostrou, especificamente ao mundo do surfe, que as "escrituras" feitas no diário de bordo do Capitão James Cook, no século XVII, durante sua passagem pelo mesmo continente polinésio, podem não ter sido as mais antigas do mundo.

Thor Heyerdahl em frente aos Moais da Ilha de Páscoa. 

Sua saga - a primeira feita por ele - é contada, agora, em filme que estreia hoje nos cinemas do Brasil, e deve ter atenção especial de todos os que realmente se consideram surfistas, já que até hoje, a história do surfe não possui antecedentes as descrições feitas pelo Capitão Cook.

A ligação pode ter sido feita - e possivelmente foi - por Heyerdahl, em suas expedições pelo pacífico sul, as quais foram reconhecidas pela UNESCO. Foram mais quatro as expedições feitas por Thor: "El Uru", "Ra", "Ra II" e "Tigres". Além disso, ele comprovou várias semelhanças entre as culturas peruanas e polinésias.

Além de Thor Heyerdahl, o historiador espanhol Kitin Muños também realizou travessias pelo Oceano Pacífico, confirmando esta teoria, já na década de 80. E Cesar Dal Molin, o "Cachorrão" da praia Mole, em Florianópolis, comprovou que a cultura dos nativos sul americanos tem uma ligação, íntima e restrita, com toda a história do surfe que hoje praticamos.

Inscrição Rupestre no meio do Deserto do Atacama, Chile, chamada de 'O Balseiro'. Foto: César Dal Molin.

O papel principal do filme - que é norueguês - não poderia ter sido dado a ninguém menos que o norueguês Pål Sverre Hagen, que também fez sua estréia mundial no filme "Max Manus", um dos melhores filmes recentes feitos sobre a Segunda Grande Guerra, e também dos mesmos diretores Joachim Rønning e Espen Sandberg.

Thor faleceu em 1987, deixando um legado histórico importantíssimo para a humanidade. O documentário Kon-tiki recebeu o Oscar em 1951, e foi o único filme norueguês a receber um prêmio desta grandeza.




Em Florianópolis a estréia acontece hoje - 09/08 - as 21:40 horas, na sala 2, do Beiramar ShoppingKontiki foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Para saber mais acesse : O ELO PERDIDO DO SURFE – Capítulo 1
                                       
                                   O ELO PERDIDO DO SURFE - Capítulo 2

                         CACHORRÃO DA MOLE FAREJA O ELO PERDIDO DO SURFE

Por Eduardo Rosa
Postar um comentário