DUNAS DA RIBANCEIRA, EM IMBITUBA, RECEBEM 'ABRAÇO SIMBÓLICO' PELA PRESERVAÇÃO

MANIFESTAÇÃO MOSTROU IMPORTÂNCIA DAS AREIAS DAS DUNAS QUE SÃO RETIRADAS DIARIAMENTE


SOS humano no local onde as areias das dunas da Ribanceira estão sendo extraídas. Foto: João Batista Coelho Júnior.
Com a presença do Tetracampeão Mundial de sandboard, Digiácomo Dias, que se mostrou preocupado com o possível fim das dunas da Ribanceira, em Imbituba (SC), o 'Abraço Simbólico' programado para acontecer no último domingo - dia 06 de outubro -, foi considerado um sucesso.

Uma centena de pessoas atendeu o chamado do grupo SOS Dunas da Ribanceira, e compareceu de forma espontânea, para realizar um dos pontos máximos de toda a repercussão que envolvem a retirada de areia de um patrimônio público na cidade de Imbituba.

O momento do "Abraço Simbólico' emocionou até quem não conhecia o tamanho do 'estrago' já feito em todos esses anos. Foto: Eduardo Rosa.

Surfistas, skatistas, historiadores, escoteiros mirins, moradores e imprensa, demostraram a preocupação com fim das dunas da praia da Ribanceira, que podem, em alguns anos, acabarem extintas, se nenhuma atitude for tomada.

O entrave judicial acontece em nível federal, e o julgamento pode, ainda, durar anos. Enquanto isso, a mineradora responsável pela extração de areias, vêm recorrendo a liminares, e aumentando o tamanho do estrago, que foi notabilizado nos últimos anos, com um enorme buraco de degradação, comprovado pelas pessoas que participaram deste movimento.

Em uma das descidas, feitas por Digiácomo Dias, em uma das enormes dunas, emocionou a todos que presenciaram o 'Abraço Simbólico' as dunas da Ribanceira. Foto: Eduardo Rosa.

A afirmação da mineradora, já contestada, condenada e sentenciada pelo Ministério Publico, em uma ACP - Ação Civil Publica -, de que as areias das dunas estão sendo utilizadas para a fabricação de produtos para a construção civil, como argamassas e rejuntes cerâmicos, produzidas por diversas empresas no estado, foi amortizada por uma liminar do Tribunal de Justiça de SC, que autorizou a mineradora a continuar retirando as areias.

Segundo depoimento de um morador, próximo a empresa que extrai as areias da dunas da Ribanceira, boa parte da areia das dunas estão sendo enviadas para servir de aterro para a construção da ponte estaiada, em Laguna, uma obra do Governo Federal para conclusão da duplicação da BR 101 sul.

Uma centena de pessoas 'escalaram' as enormes dunas da Ribanceira para demonstrarem sua preocupação com fim deste patrimônio. Foto: Eduardo Rosa.

A ideia dos organizadores do movimento SOS Dunas da Ribanceira, é sensibilizar a população e os administradores públicos  municipais e estaduais, para criação de uma audiência pública, para debaterem o possível extermínio de uma das maiores dunas de Santa Catarina, onde algumas podem chegar a ter mais de 50 metros de altura.

Segundo os coordenadores do movimento, o lema principal do grupo, representa todos os motivos básicos que norteiam o fim da extração de areia das dunas: "Pelo fim da destruição deste patrimônio Social, Cultural, Ambiental e Turístico".



Milhares de pessoas frequentam as dunas da Ribanceira todos os anos, entre moradores e visitantes. Há relatos de descobertas de sítios arqueológicos com materiais que podem ter mais de 1000 anos. Universidade e escolas frequentam as dunas da Ribanceira, todos os meses, para estudar suas areias. E, ainda, a importância turística que elas representam para a cidade.




O Tetracampeão Mundial de sandboard, Digiácomo Dias, falou com exclusividade sobre o assunto.

Para saber mais sobre o Movimento SOS Dunas da Ribanceira, clique aqui.

Para ver o vídeo sobre extração de areia das dunas da Ribanceira. clique aqui.

Para ver os depoimentos e as denúncias dos moradores, clique aqui e aqui.

Para assinar do Abaixo Assinado pela preservação das dunas da Ribanceira, clique aqui.

Por Eduardo Rosa
Postar um comentário