MUSEU DA BALEIA FRANCA É REABERTO EM IMBITUBA

SOS DUNAS LEMBRA O PRINCIPAL FIM DE DUAS ATIVIDADES 

Um dos motivos para a matança de baleias franca, que ocorriam décadas atrás, era a retirada do óleo proveniente da gordura para fabricação de argamassa.

As baleias chegaram, e o eterno Museu da Baleia Franca foi reaberto com todas as homenagens que lhe é cabível. Parte de uma história importante para nossa cidade, mas terrível para uma espécie que não tem culpa nenhuma pelo que a ambição humana é capaz, está representada de várias formas nessa fonte de inspirações para nosso futuro. 

É o primeiro e único do gênero na América Latina, sendo um dos equipamentos históricos e turísticos mais importantes do Sul do Brasil, atraindo turistas e pesquisadores do mundo inteiro.

Da mesma forma, a areia que foi retirada exaustivamente das dunas da Ribanceira durante décadas, em Imbituba, serviam fábricas de argamassa em toda Santa Catarina. Foto: Liana Tobias.

O SOS Dunas da Ribanceira lembrou, durante a última Semana do Município, a forte ligação que existe entre a matança de baleias e a extração de areia das dunas da Ribanceira, que tinha basicamente uma finalidade em comum: a produção de argamassa.
Postar um comentário