SANTA CATARINA PODE RECEBER ETAPA DO MUNDIAL DE ONDAS GRANDES EM LAGUNA

BIG RIDER CARLOS BURLE FEZ INDICAÇÃO PARA QUE O BRASIL RECEBA UMA ETAPA CLASSIFICATÓRIA DO BIG WAVE TOUR


Praia do Cardoso, em Laguna, a espera de mais um grande evento de ondas grandes. Foto: Lucas Barris. 


Carlos Burle, um dos maiores big riders do planeta, voltou neste sábado (23) a Santa Catarina para trazer uma notícia importante para o surf catarinense e brasileiro. A sua indicação para que uma etapa classificatória do Big Wave Tour, ou Circuito Mundial de Ondas Grandes, aconteça em águas catarinenses. 


A ideia surgiu ainda durante o Desafio Mormaii de Ondas Grandes, na praia Cardoso, em Laguna, ano passado, e Burle está convicto que ainda neste ano o evento deva acontecer, só que agora com a chancela da WSL - World Surf League -, e incrementação de patrocinadores e premiação. De Florianópolis, Burle seguiu direto para a matriz de uma das maiores fabricantes de roupas de neoprene do mundo, a Mormaii, em Garopaba. 

"A WSL tem interesse em chancelar isso ainda este ano e teremos uma reunião nesta semana para tratar do assunto. Queremos transformar a competição que já ocorreu ano passado em um campeonato de surfe 'qualifyng' para o Circuito Mundial de Ondas Grandes", comentou Burle.

Thiago Jacaré, Carlos Burle, Reinaldo LJ e João Baiuka, durante o Desafio de Ondas Grandes em 2015. Foto Thiago Jacaré.

Por traz da realização do Desafio de Ondas Grandes 2015, em Laguna, estão os exímios big riders Thiago Jacaré, João Baiuka e toda a equipe da ASTFM - Associação de Surf e Tow-in do Farol de Santa Marta -, que transformaram o mês de setembro de 2015 num marco histórico para o surf de ondas grande no Brasil e em Santa Catarina, com a vitória do baiano Lapo Coutinho nas enormes ondas da praia do Cardoso, ao lado do Farol de Santa Marta. 

Para Carlos Burle, mesmo não tendo ondas com tamanho expressivo, o Brasil tem um grande número de atletas com performances relevantes e novos talentos, que podem ganhar chances melhores a partir de um campeonato como esse. "Mas é importante deixar mais claro ainda, que o brasileiro surfa ondas grandes no mundo inteiro e cada vez mais brasileiros tem buscado esse tipo de surfe. Deixar o Brasil de fora só porque não temos as ondas como Circuito Mundial trabalha, não entendo que seja justo. Pensamos dessa forma, e diretores da WSL também", ressalta Burle.


O Circuito Mundial de Ondas Grandes é composto por 8 eventos anuais, com 24 atletas por etapa, sendo muitos desses convidados locais ou premiados por filmagens. Atualmente Carlos Burle é o único brasileiro presente e a expectativa e que o carioca Pedro Calado conquiste vaga para 2016/2017. A competição na Praia do Cardoso seria ideal para proporcionar uma oportunidade mais próxima de surfistas brasileiros serem inserir nessa elite mundial.
Postar um comentário