HOMENAGEM SURFESTA AO OP PRO IMBITUBA 94

SURFE CATARINENSE HOMENAGEIA EDUARDO ROSA, PRODUTOR DO OP PRO IMBITUBA 94

Por Cleber Latrônico (Portal Ahora)

Eduardo Rosa, trajando a camiseta do OP Pro Imbituba 94, ao lado do australiano ex campeão mundial, Mick Fanning, durante os primeiros WCT's em Imbituba. Mick quis saber que evento foi aquele. Foto: Eduardo Rosa

Depois da lenda Nabor Heleodoro, chegou a hora de outro imbitubense, Eduardo Rosa, ter sua história de amor ao surfe reconhecida na 'Surfesta', em Florianópolis.

Um dos grandes incentivadores deste esporte no Estado, o ativista ambiental, surfista, blogueiro do Surfemais, colunista do Portal AHora e promotor de eventos, será lembrado na última das três edições do super evento, pela produção, em meados da década de 1990, do mítico OP Pro 94 (Clique aqui para relembrar o evento).

Público presente no último dia do OP Pro Imbituba 94. Foto Eduardo Rosa.

Segundo Gordo, como também é conhecido no meio das ondas, foram três dias que jamais serão esquecidos por quem presenciou a competição no canto da praia da Vila, que estreava nos circuitos brasileiro e mundial (1ª etapa do Brasileiro e 3ª do recém criado Mundial WQS), abrindo as portas para outros grandes eventos em Imbituba.

Orgulho-me muito de fazer parte do surf imbitubense, principalmente por ter estado a frente do OP Pro 94, junto com o Romeu Filho, e ser reconhecido pela humilde história que mantenho até hoje, por poucos lembrada. Quando era mais novo, tinha mais tempo para me dedicar e acompanhar mais de perto a evolução do esporte em nossa cidade e em nosso estado. Mas, aos poucos tenho voltado a estar mais presente, depois que retornei a Imbituba”, conta Rosa.

Romeu Pires diretor de Turismo de Imbituba, Patrícia, representante da OP e Eduardo Rosa, poucos meses antes da realização do OP Pro 94. Foto Eduardo Rosa.

A Surfesta acontece nesta quinta-feira (31), a partir das 21 horas, no Jhon Bull Pub, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. A última edição do evento, que na primeira delas homenageou os ícones dos anos 70 e na segunda os da década de 1980, vai agora prestar um tributo, em sua última edição, às lendas dos anos 90.

Esquentas para livro e documentário com a história do surfe catariensene 


Considerado um marco para o surfe catarinense, com recorde de público na praia e surfe de altíssimo nível, o OP Pro 94 será relembrado na Surfesta, que reúne pessoas de todas as gerações das pranchas e presta reconhecimento aos seus personagens. 

O evento em Floripa serve de esquenta para a produção de um livro e do documentário ‘Altas, as Histórias do Surf Catarinense’, produzido por Luciano Burin e Maurio Borges (autores de 'Pegadas Salgadas') que será lançado no em dezembro deste ano. 

"O surfe catarinense já tem meio de século de história e essas pessoas que fomentaram o esporte precisam ser lembradas e reverenciadas pelos mais novos", explica Borges.

"Surfe fez bem mais por mim do que eu por ele"


Entregando ao ex prefeito de Imbituba, Jeronimo Lopes, o troféu pela realização da Copa Besc de Surf Profissional em Imbituba, em 93

Eduardo lembra com emoção e gratidão tudo o que já fez pelo surfe, mas, humilde, prefere pensar que o surfe é quem fez por ele. "Vivenciei competições estaduais e nacionais nas décadas passadas, seja trabalhando ou acompanhando atletas imbitubenses, numa época em que além de colaborar com o surf, cobria eventos em outras cidades para jornais e rádios de Imbituba" comenta Eduardo Rosa

"Sempre fiz com o coração e com orgulho, acompanhei nosso maior atleta, Fabinho Carvalho, ser campeão estadual três vezes. Penso que me proporcionando tudo isso, o surfe fez bem mais por mim do que eu por ele”, relata Eduardo, que também se destaca no ativismo ambiental.

Junto com Fabinho Carvalho, nas comemorações de Bicampeão Catarinense Amador em 1992 e em 2013 com o tri campeonato. Foto Arquivo Eduardo Rosa.

Esse envolvimento com um esporte, que depende principalmente da natureza, nos trás lições do quão é importante ajudarmos nossa cidade a se manter linda e sustentável, para nós e nossas futuras gerações. Para tanto, tenho lutado sempre que posso, para não perdermos uma de nossas principais identidades, a natureza ainda bela e quase intocada de nossa Zimba. O SOS Dunas foi um marco em tudo isso, e fez muito mais pessoas acreditarem que é possível sim lutar pela preservação de Imbituba”, finaliza o ecologista. 
Postar um comentário