SILVANA LIMA E O PAR PERFEITO EM TRESTLES

CEARENSE DESBANCA 3 VEZES AUSTRALINA HEXACAMPEÃ DURANTE ETAPA DO MUNDIAL NOS EUA

Silvana Lima voando em Trestles. Foto: WSL/Kenneth Morris.

Ela já está garantida na semifinal em Trestles, e não foi nada fácil chegar até lá. E a cearense Silvana Lima fez por merecer estar tão próximo da final do Swatch Pro 2017, na praia de Trestles, Califórnia (EUA). Depois de um ano com uma performance aquém de suas possibilidades, ela finalmente desencantou. 

Esta 7ª parada do World Tour 2017 fez bem pra ela, já que como dito, ela ama as ondas de Trestles. Sil tem surf para qualquer onda, mas se sente muito a vontade lá. Além disso, era o que ela precisava pra voltar a briga por sua vaga em 2018.

Na primeira fase do evento, a cearense já foi apresentando seu 'passport' pra ir direto para o terceiro round, mandando os somados, 8 Títulos Mundiais para a repescagem. As vítimas em questão, foram a australiana hexacampeã mundial, Stephanie 'Happy' Gilmore, mais a tricampeã do World Tour WSL, Carissa Moore, que por pouca diferença na pontuação, disputaram mais uma fase do campeonato, enquanto a Sil aguardava no 3ºround.

Steph Gilmore tentou três vezes vencer Silvana Lima em Trestles. Foto: WSL/Kenneth Morris.

Já no 3º round, a hexa campeão renasceu novamente, após vencer na repescagem outra australiana, Bronte Macaulay, e se juntar à francesa, Johanne Dafey para tentar barrar a brasileira. Mas, foi em vão. Um 8,33 e um 9,77 - a maior nota do evento até então - de Silvana, puseram Steph e Johanne em combination, precisando duas notas altas também para virar a disputa. 

Gilmore - agora não tão 'happy' assim - foi mais uma vez à repescagem tentar a sorte, só que agora diante da atual campeã mundial, outra australiana, Tyler Wright. Quem sabe a vontade de Steph em voltar e tentar mais uma vez eliminar a cearense, tenha feito ela eclodir nesta repescagem. Com 18,90 pontos contra 8,83, Tyler foi 'esmagada' por 'Happy' Gilmore.

Chegada as quartas de final, e mais um momento decisivo para Silvana e Steph, pois foi a bateria mais disputada entre elas até então. Steph abriu a bateria com um 8,67 pontos, mas não deu tempo da australiana pensar, pois lá atrás já vinha a Silvana esculachando a onda, que lhe valeu alguns décimos a mais, ou o primeiro 8,93 dela na bateria. 

Fair Play: Silvana Lima é cumprimentada por Gilmore após a bateria. Foto/Reprodução:: Eduardo Rosa. 

A disputa ficou morna até faltarem oito minutos para o fim da bateria, quando a cearense 'pediu truco' para a australiana, ao receber 6,63 pontos em sua segunda melhor onda até então, com direito a aéreo reverse e tudo mais. E, enquanto Silvana surfava sua onda seguinte, lá atrás vinha Steph aceitando a provocação, marcando um 7,50.

O que a australiana não contava, enquanto comemorava essa sua última onda - que lhe daria a tão sonhada virada -, é que Silvana na onda da sequencia marcaria um 'par perfeito' na disputa, ou mais um 8,93, segundo os juízes. Gilmore ainda tentou mais uma 'cartada' com um minuto para final dessa quarta de final. Mas, o 7,63 não foi suficiente para desfazer a combinação de notas da brasileira. 

O 'fair play' de Gilmore, logo após o soar da buzina com o final da bateria, parecia não esconder seu desagrado pelas três derrotas seguidas, mas a australiana é uma desportista e uma gigante por seus feitos. Silvana Lima enfrenta nas semifinais nesta sexta feira (15), a norte americana Lakey Peterson, valendo uma vaga na final do evento, e seu melhor resultado até agora em 2017.

Silvana comentou seu momento em Lowers Trestles, "Obrigado, Senhor, por este momento e por estar aqui. Há muitas ondas divertidas lá fora. Eu procuro fazer o meu melhor e Lowers, essa onda se encaixa muito bem comigo. É como uma pista de skate e me sinto muito confiante. Foi o meu momento e estou muito agradecida. Vou tentar seguir em frente e dar o meu melhor, espero que aconteça a mesma coisa e o meu objetivo é a final. Ainda há mais uma bateria, então farei de tudo",

Postar um comentário