PESCADORES E SURFISTAS AO SUL DE SC

TEMPORADA DA TAINHA EXPÕE UNIÃO ENTRE SURF E PESCA NA REGIÃO SUL DO ESTADO

Praia da Ribanceira, em Imbituba, há muitos anos o respeito a tradição da pesca é levado em consideração pelos locais. Foto: Anderson Martins.

Apesar do atraso, o frio finalmente chegou ao sul do país, e os cardumes de tainhas também, e mais uma vez, em grandes quantidades. Algumas prefeituras junto com as colônias de pesca reafirmaram o compromisso para a colocação de placas informativas para a proibição de esportes náuticos, ou alertas para os sistemas de bandeiras.

Em reuniões realizadas em Imbituba e Garopaba, entre pescadores e surfistas, com avais das prefeituras, ficou acordado as praias que estariam fechadas para prática de esportes náuticos, as que estariam liberadas, e as que teriam o sistema de bandeiramento como sinalizadores.

Semana marcada pela integração entre surf e pesca

Um dos melhores competidores de Imbituba, Anderson Júnior, entende, respeita e colabora com a pesca da tainha nesta época do ano. Levou até uma tainha fresca pra casa. Foto: Anderson Martins. 

Antes dos primeiros cardumes chegarem a costa sul catarinense, pescadores e surfistas estavam apreensivos. Uma boa parte deles já conscientes que o momento era a manutenção de uma das maiores tradições ainda vivas na cultura do estado. Até agora nenhum incidente foi registrado na região.

E nesta última semana, que o frio e o vento sul chegaram com tudo, as tainhas apareceram, e cerca de 30 toneladas já foram pescadas. Em Garopaba, Imbituba e Laguna, que no passado ficaram marcadas pelas históricas confusões nesta época, hoje a paz, aparentemente, reina absoluta. 

Laguna: União e tradição

Em Laguna, puxados pela galera da ASTFSM, do Farol de Santa Marta e Atowinj, tendo João Bayuca, Reinaldo Rlj - presidente da ASTFSM -, Tiago Jacaré e cia, a convivência vem sendo pacífica há alguns anos. E esse orgulho Bayuca faz questão de mostrar nas redes sociais todos os anos. 

Imbituba: ASI quer surf e pesca unidos


Em Imbituba, a primeira cidade a implantar o sistema de bandeiras ainda no início da década de 90, em acordo firmado entre a Associação de Surf Imbitubense - ASI - e os pescadores, há muitos anos não sofre mais esta rivalidade entre pescadores e surfistas, que marcou as temporadas passadas. Hoje cada praia determina a melhor forma para atravessar a temporada. 

Na praia da Ribanceira, assim como algumas outras em Imbituba, o curioso é que a praia fica fechada para o surf, e muitos surfistas ainda contribuem com a manutenção da tradição, e ainda puxam as redes para ajudar. Apesar disso, mesmo após a temporada da pesca já ter se iniciado, o surf rolava solto antes dos cardumes realmente encostarem. 

Praia do Rosa (Porto Novo): Respeito ainda não prevaleceu este ano

Lanço de tainha no Rosa Sul, em Imbituba. Foto: Claudete Medeiros

Na praia do Rosa (canto sul), também em Imbituba, a tensão rolou solta na temporada passada (2017), e todas as manhãs manadas de surfistas já estavam na água antes do amanhecer. Isso gerou grande desconforto entre pescadores e surfistas que não se entendiam, mesmo o Rosa Norte estando livre para a pratica do surf. 

Neste ano, os cardumes estão sendo pescados no Rosa, mas os surfistas ainda não entenderam a reivindicação dos pescadores, e quem sabe por isso, não há um entendimento entre as duas classes. Mas, a turma da prancha ainda pleiteia a prática do esporte em dias em que os barcos não conseguem adentrar o mar. E a bandeira de sinalização, quando colocada, não sobe para liberar o surf.

Praia da Vila: Um caso a parte

A praia da Vila, em Imbituba, é um caso a parte nesta história. Como a primeira praia a receber o sistema de bandeiras na história do surf catarinense, hoje poucas vezes se nota que a bandeira está lá, e que, a qualquer momento pode ser erguida. 

Após o falecimento do Sr. Joaquim, há alguns anos atrás, líder dos pescadores naquele local, quase não se vê mais o caminhão com canoas a se esgueirarem pela praia. E um fato típico é que os cardumes estão sendo cercados mais para o meio da praia, no local conhecido como Castelinho. Mesmo assim, o alerta existe e todos sabem que a praia é dos pescadores nesta época.

Garopaba: Oficialmente tudo correndo bem

A prefeitura Municipal de Garopaba através da Secretaria de Agricultura e Pesca, promoveu uma reunião junto com os pescadores e surfistas do Município antes do início da temporada, com objetivo de formalizar um acordo entre ambas as partes para o período de pesca da tainha que vai de 01 de maio até 31 de julho.

Participaram os proprietários de embarcações da pesca da tainha artesanal (arrasto), Surfistas, Associações de pesca e Surf e Policia Militar. “O intuito da reunião, foi manter o acordo entre os pescadores e surfistas, é importante para que haja uma harmonia entre as partes", comentou Edevaldo Gonçalves,, Secretário de Agricultura e Pesca. 

"O acordo é firmado em Garopaba há quase duas décadas e é tido como exemplo em nosso Litoral, pelo respeito que entidades de surf e pesca tem por ele, por isso o empenho em manter. Nosso trabalho se concentra na organização e divulgação” completou Edevaldo Gonçalves.
Postar um comentário